Publicado em

Editora Kapulana lança no Brasil ESSE CORPO LAMENTADO, da escritora e ativista do Zimbábue – Tsitsi Dangarembga

Livro da escritora do Zimbábue é o último volume da trilogia com a protagonista Tambudzai – Prêmio “Booker Prize for Fiction 2020”

A Kapulana lançará no Brasil, ainda em 2022, ESSE CORPO LAMENTADO (This mournable body), de autoria da escritora e ativista do Zimbábue, Tsitsi Dangarembga, com tradução de Carolina Kuhn Facchin, capa de Mariana Fujisawa e projeto gráfico de Daniela Miwa Taira.

Esse corpo lamentado é o terceiro livro de uma trilogia composta por: Nervous conditions, The book of Not e This mournable body, editados no Brasil pela Kapulana como Condições nervosas (2019), O livro do Não (2022) e, agora, Esse corpo lamentado. A protagonista da trilogia é Tambu (Tambudzai Sigauke), uma adolescente de origem shona, nascida no Zimbábue (antiga Rodésia).

Em 2023, a Kapulana lançará o livro de ensaios de Tsitsi Dangarembga: Black and Female.

A TRILOGIA

Na trilogia, Tsitsi Dangarembga mostra corajosamente os resultados devastadores das ações destruidoras do sistema colonial inglês sobre a cultura e a formação de mulheres como Tambudzai Sigauke. É uma sequência de livros que, além de aproximar o leitor da história de um país pouco conhecido dos leitores brasileiros, emociona ao mostrar a saga de uma personagem sempre em processo de reflexão e luta, da mesma forma que a autora dessa incrível trilogia.

1º volume da trilogia – Condições Nervosas (Nervous conditions) – 2019

Tsitsi Dangarembga conta como foi a infância de Tambu com seus pais e irmãos em uma aldeia nos arredores de Umtali, na Rodésia, nos anos 60 do século XX, quando o país estava sob domínio britânico. Tambu estudava numa escola missionária na aldeia onde seu tio Babamukuru era o diretor. Depois da Independência, o país passou a se chamar Zimbábue, e a cidade, Mutare.

2º volume da trilogia – O livro do Não (The book of Not) – 2022

Tambu vai estudar na Escola para Moças Sagrado Coração, colégio secundário religioso para alunas da elite branca, um internato que mantinha algumas vagas para alunas negras. Depois de formada, Tambu vai trabalhar como redatora em uma empresa de marketing em Harare (antiga Salisbury), capital do país e passa a morar em um pensionato, também com maioria de residentes brancas. Nesses dois momentos de sua vida, Tambu esforça-se para atingir níveis de excelência, mas sem sucesso por sofrer discriminações de todo o tipo. Além disso, é confrontada com situações em que sua identidade é colocada à prova. A história se passa nos momentos finais da luta de libertação do país até sua independência, em 1980. Tambu, por ser de família negra, e ter estudado em colégio de elite para meninas brancas, passa a questionar os valores com que foi educada e convive com os representantes do país colonizador e também com os que lutam pela independência do país, sua irmã Netsai e seu tio Babamukuru, por exemplo.

3º volume da trilogia – Esse corpo lamentado (This mournable body) – 2022

Recebeu em 2020 o prêmio “Booker Prize for Fiction”. Nesse romance, última parte da trilogia, Tambu (Tambudzai), a protagonista, nascida no Zimbábue, é uma mulher adulta que tenta afirmar-se, depois de terminar os estudos e ter tido uma experiência profissional negativa. Em Harare, capital do país, Tambu esforça-se para atingir a excelência nas suas atividades e alcançar alguma estabilidade financeira e pessoal, mas se depara com questões desafiadoras – marcadas desde a infância e juventude – como a discriminação racial e social e o não reconhecimento de seu esforço.

Memórias, traumas e experiências do passado e a dramática e violenta experiência do presente vêm à tona nessa emocionante obra de ficção, em que Tambu consegue se reconhecer e se reconstruir numa sociedade em que forças políticas e históricas do colonialismo permanecem enraizadas no tecido social do Zimbábue.

A tradução é de Carolina Kuhn Facchin, a capa é de Mariana Fujisawa e o projeto gráfico de Daniela Miwa Taira.

Trechos de ESSE CORPO LAMENTADO

“Você sente como se seu útero estivesse escorrendo entre os ossos de seu quadril e caindo numa poça no chão.”

“A boca dela é um poço. Está puxando você. Você não quer ser sepultada por ela. Baixa os olhos, mas não se afasta porque, por um lado, está cercada pela multidão. Por outro lado, se voltar à solidão, cairá dentro de si mesma, onde não há lugar para se esconder.”

“Você se preocupa que vá começar a considerar acabar com tudo, já que não tem nada pelo que viver: nem casa, nem trabalho, nem laços familiares. Esse pensamento induz um pântano de culpa.”

“Cobras, aquelas sobre as quais sua avó falava quando você era criança e perguntava a ela as coisas que não podia perguntar a sua mãe, as cobras que seguram seu útero dentro de você, abrem suas bocas ao ouvirem falar da guerra. Todo o conteúdo em seu abdômen escorre para o chão, como se as cobras tivessem liberado tudo ao abrirem suas bocas. Seu ventre se transforma em água. Você fica ali parada, sua força aniquilada.”

“As mulheres da guerra são assim, um novo tipo de ser que ninguém conhecia antes, não exatamente homens, mas não mais mulheres.”

A autora TSITSI DANGAREMBGAhttps://www.kapulana.com.br/tsitsi-dangarembga/

TSITSI DANGAREMBGA é escritora e cineasta nascida na Rodésia, hoje Zimbábue. Iniciou sua educação na Inglaterra, onde viveu parte da infância, e concluiu o ensino básico em uma escola missionária na cidade de Mutare, Zimbábue. Estudou direção de cinema em Berlim, na Alemanha, onde produziu diversos filmes. Atualmente, Tsitsi Dangaremgba vive com a família em Harare, capital do Zimbábue, onde fundou uma produtora de filmes, a Nuyerai Films. Feminista e ativista, é idealizadora e diretora de diversos projetos e programas que dão suporte financeiro e técnico para mulheres que atuam como artistas e cineastas no Zimbábue e na África como um todo. É autora de livros de ficção, para teatro e cinema e de ensaios. Recebeu vários prêmios, os mais recentes em 2021: “2021 Pen Pinter Prize” e “Prêmio da Paz na Feira do Livro de Frankfurt” (Peace Prize of the German Book Trade).

SOBRE OS 3 LIVROS:

 SOBRE A EDITORA KAPULANA

Editora voltada para a publicação e divulgação de autores brasileiros e estrangeiros com foco na literatura africana com seleção de títulos marginais, ou seja, de pouca visibilidade na mídia. O catálogo da editora Kapulana preza pela diversidade e apresenta obras voltadas para literatura infantil, jovens e adultos, assim como memórias, biografias e obras científicas. Com o compromisso de ampliar e apresentar diversas linguagens literárias ao público brasileiro, os escritores, ilustradores e colaboradores da Kapulana são de países como Brasil, Portugal, Angola, Moçambique, Nigéria, Quênia e Zimbábue.

Acompanhe as novidades nas nossas redes sociais:

[05 de agosto de 2022]