NOÉMIA DE SOUSA nasceu em 1926, em Catembe, vila no litoral Sul de Moçambique, banhada pelo Oceano Índico, na baía de Maputo, bem em frente à capital de Moçambique. Faleceu em 2002, em Cascais, Portugal. Por sua influência nas gerações de poetas de Moçambique, ficou conhecida como “Mãe dos poetas moçambicanos”. É autora de densa obra poética, que representa a resistência da mulher africana e luta do povo moçambicano por sua liberdade. Seu único livro, Sangue negro, é composto por 49 poemas, escritos entre 1948 e 1951, que circularam na época em jornais como O brado africano. Em 2001, seus poemas foram reunidos no livro Sangue negro, publicado pela Associação dos Escritores Moçambicanos (AEMO) e, dez anos mais tarde, uma nova edição de Sangue negro foi publicada pela editora moçambicana Marimbique. Em 2016, a Editora Kapulana publica a primeira edição brasileira de Sangue negro, com os 49 poemas mais marcantes da literatura moçambicana.

OBRA DA KAPULANA

SOUSA, Noémia. Sangue negro. São Paulo: Kapulana.  2016. [Vozes da África]

OUTRAS EDIÇÕES

  • SOUSA, Noémia. Sangue negro. Maputo: AEMO – Associação dos Escritores Moçambicanos, 2001.
  • SOUSA, Noémia. Sangue negro. Maputo: AEMO – Editora Marimbique, 2011.