Publicado em

AKWAEKE EMEZI

AKWAEKE EMEZI nasceu em 1987, na Nigéria, em Umuahia, mas cresceu em Aba. Atualmente vive nos Estados Unidos.

Em 2017, recebeu uma bolsa do “Global Arts Fund”para realizar a videoarte de seu projeto The Unblinding, e uma bolsa “Sozopol Fellowship for Creative Nonfiction”.

Akwaeke identifica-se como Ọgbanje, palavra da cultura Igbo que significa um espírito intruso que nasce em uma forma humana, e que resultaria em uma criança com um terceiro gênero. Traduzindo isto para sua realidade terrena, Akweke nasceu em um corpo feminino, mas não é mulher, identificando-se como trans e utilizando pronomes neutros para se referir a si. No texto Transition: My surgeries were a bridge across realities, a spirit customizing its vessel to reflect its nature, publicado no site The Cut, Akwaeke fala de suas cirurgias e experiências para adequar seu espírito à realidade física.

OBRA DA KAPULANA

Água doce. Tradução: Carolina Kuhn Facchin. São Paulo, 2019.

Pet. Tradução: Carolina Kuhn Facchin. São Paulo, 2021. (Em tradução)

OBRA ORIGINAL

  • Who is like God (conto). Londres: Granta Publications, 2017.
  • Freshwater. Nova York: Grove Press, 2018.
  • Pet. Faber&Faber, 2019.

DESTAQUES

  • Em 2017, seu conto Who is like God ganhou o “Commonwealth Short Story Prize for Africa”.
  • Água doce (Freshwater), uma autobiografia ficcionalizada, é a obra de estreia de Akwaeke Emezi, lançada em 2018.
  • Akwaeke Emezi está entre os homenageados da National Book Foundation ‘5 Under 35’, de 2018.
  • Água doce (Freshwater) é finalista do “First Novel Prize da Center for Fiction” e foi pré-finalista do “Aspen Words Literary Prize”.
  • Traduzido para seis línguas, o livro é um dos “100 Notable Books de 2018”, do jornal New York Times.
  • O livro foi pré-finalista do “Carnegie Medal of Excellence” e do “The Brooklyn Public Library Literary Prize”.
  • O livro foi “Escolha do Editor”, do New York Times Book Review e recebeu resenhas elogiosas do New York Times, Wall Street Journal, New Yorker, Guardian e LA Times, entre outros.
  • Os textos de Akwaeke foram publicados pela T Magazine, Dazed Magazine, The Cut, Buzzfeed, Granta Online, Vogue.com, e Commonwealth Writers, entre outros.